Missão empresarial: negócios ou turismo disfarçado?

Exportação: Você já participou de uma rodada de negócios no exterior?

No processo de exportação, as rodadas de negócios, chamadas às vezes missões de negócios são uma ótima oportunidade (se bem organizadas) para fazer promoção dos próprios produtos ou serviços, realizar contatos com potenciais compradores ou possíveis parceiros, fornecedores, investidores.

Como participar de uma rodada de negócios

Em geral são organizadas, por entidades de promoção de comércio exterior como por exemplo Apex, associações de industriais, câmaras de comércio, consórcios de promoção de exportação, etc.

A relação custo-benefício em uma participação em uma rodada de negócios para o empresário será largamente vantajosa, pois ele terá adquirido, em poucos dias, uma boa experiência e realizado contatos com interlocutores previamente selecionados por quem organizou a agenda de encontros no país visitado. Os resultados positivos de uma rodada de negócios poderão acelerar razoavelmente o processo de exportacao

Frequentemente os empresários voltam das missões de negócios decepcionados por não ter fechado negócios ou no mínimo por não ter realizado encontros produtivos que no futuro poderão gerar negócios na própria exportação.

Moral: a oferta não encontrou a demanda, como por exemplo, se você foi para vender calçados e encontrou alguém que queria comprar sandálias, ou se você queria encontrar distribuidores e lhe foram apresentados agentes de vendas, ou se você foi para encontrar um parceiro para uma aliança industrial no setor de autopeças e o seu interlocutor queria vender faróis!

Como reduzir a margem de fracasso nas rodadas de negócios?

Quero transmitir a minha experiência pessoal depois de ter organizado uma dezenas de rodadas de negócios, no Brasil, no México, na Itália.

Segue uma série de sugestões:

Antes de tudo, não aconselho missões das quais participem empresas de setores muito diferentes, como por exemplo, de alimentos, joias, móveis e autopeças, nem missões com dezenas de participantes, pois a gestão do projeto acaba sendo muito complexa. Em minha opinião, um grupo com cerca de dez empresas de um mesmo setor é o ideal.

Uma missão com boas possibilidades de sucesso deve ter como parâmetros:

  • Conhecimento do país por parte de quem coordena a missão.
  • Seleção dos participantes da missão: isso é fundamental (muitas vezes, infelizmente, é suficiente inscrever-se para participar).
  • Seleção do parceiro no país-alvo da missão que deverá organizar a agenda dos encontros.
  • Definição correta do perfil empresarial do participante e do parceiro que estamos interessados em buscar no país que será visitado.
  • Seleção dos contatos e elaboração da agenda de reuniões no país que iremos visitar.

Follow-up: na volta da missão, o organizador deverá fornecer   assistência aos empresários participantes (e isto nem sempre acontece).

Querendo deixar um cronograma das ações a serem realizadas, transmito a seguir o cronograma que eu mesmo tenho utilizado.

Cronograma das etapas na organização de rodadas de negócios

Identificação de um determinado setor industrial onde o país é reconhecidamente competitivo à nível internacional Por exemplo, software, autopeças, alimentos industrializados, moveis, mecânica, etc. Por parte da instituição que organizará a missão no meu caso tem sido federações das indústrias ou associações comerciais.

Descrizione: -BOOK Incoterms 2020

Seleção de um mercado estrangeiro receptivo para o setor escolhido, em função de uma pesquisa prévia e da coleta de informações.

Envio de um convite para assistir a um workshop dirigido à empresários selecionados do setor escolhido para a rodada de negócios.

Realização de um workshop de apresentação do país a ser visitado e do projeto da missão. É importante que entre os palestrantes haja  especialistas nas áreas de alfândega, pagamentos, aspectos legais  para transmitir ao público presente as peculiaridades nesse temas do país a ser visitado, além de um ou dois empresários que já trabalham com o mercado, para transmitir a própria experiência com o país em questão.

Depois do workshop, os empresários que estiverem interessados em participar à iniciativa deverão preencher uma ficha preliminar com os próprios dados e fatores de competitividade.

Já com um primeiro exame das fichas recebidas, será possível efetuar uma seleção prévia, eliminando empresas que não reúnem os requisitos para assegurar um mínimo de sucesso na missão.

Pesquisa de mercado

Realização de uma pesquisa de mercado no país de interesse, por parte do coordenador da missão para avaliar as possibilidades de negócios para os empresários preliminarmente selecionados e identificação de um parceiro local que deverá se ocupar da agenda dos encontros. Como por exemplo uma Câmara de Comércio, um escritório de representação da Instituição brasileira, uma empresa de consultoria, etc.

Apresentação dos resultados da pesquisa realizada no país de destino para as empresas interessadas em participar da missão com informações sobre a concorrência existente, normas técnicas exigidas, além da informação da estrutura de custos de importação e comercialização no país de destino dos produtos objeto da rodada de negócios.

Seleção das empresas interessadas na missão, que pode ter várias finalidades: exportação, joint venture, vendas, transferência ou compra de know-how, etc.

A seleção é realizada aplicando individualmente a cada empresa, com uma visita nas próprias instalações, a nossa metodologia export check-up  isto é uma avaliação da capacidade da empresa na área industrial, comercial, marketing, administrativa, técnica e principalmente checar a atitude da empresa.

Durante o encontro o coordenador elabora junto com a empresa seja a ficha técnica da empresa, seja a ficha do parceiro ideal que a empresa busca no país de destino.

Algumas das muitas informações que devem constar na ficha técnica da empresa

No final das visitas às empresas, o coordenador determina quais as empresas que tem concretamente boas possibilidade de sucesso pela própria capacidade exportadora e informa às que não obtiveram êxito positivo na análise, que não é recomendável participar da rodada de negócios, pois teriam escassas possibilidades em obter benefícios da missão.

Envio por parte do organizador da rodada de negócios, das fichas de perfis das empresas e perfis de compradores/parceiros que querem participar à missão ao parceiro local no país de destino que identificará os de potenciais interessados a se encontrarem com os exportadores.

Quem participa dos encontros?

Definição das empresas que irão participar dos encontros (do lado exportador e importador).

Definição da agenda de contatos entre o organizador e a empresa ou entidade parceira contratada no país de destino para ser a interface da rodada de negócios.

Chegada antecipada do coordenador da missão no país de destino, para verificar os últimos detalhes da logística, visita e eventual preparação do local onde se realizarão os encontros, seleção dos intérpretes, verificação junto à alfândega local para que não haja algum contratempo na chegada da missão com eventuais amostras de produtos.

Realização da rodada de negócios tendo entre outros como assistentes, especialistas locais de assuntos alfandegários, pagamentos, contratos.

Avaliações individuais de cada encontro por parte do exportador e do comprador e avaliação geral da missão por parte dos empresários (dos dois países) do coordenador da missão e do parceiro que organizou a agenda no país de destino.

Assistência às empresas um mês ou dois meses depois da missão, em relação às primeiras iniciativas que serão tomadas no mercado visitado, como também follow-up no país de destino com as empresas que receberam os exportadores.

Como foi a sua rodada de negócios? Seguiu esse cronograma?

Se você nunca participou de uma rodada e receber um convite para participar, verifique como será organizada (logo de entrada, se receber um comunicado que te convida a uma missão e não tiver um trabalho de seleção das empresas e treinamento, se você não souber antes de viajar com quem você irá se encontrar (o famoso efeito surpresa…) sugiro não participar. Se você já foi em missões e não teve muitos resultados positivos verifique se faltou algo do cronograma agora mencionado.

Se você nunca participou de uma rodada e receber um convite para participar, verifique como será organizada (logo de entrada, se receber um comunicado que te convida a uma missão e não tiver um trabalho de seleção das empresas e treinamento, se você não souber antes de viajar com quem você irá se encontrar (o famoso efeito surpresa…) sugiro não participar. Se você já foi em missões e não teve muitos resultados positivos verifique se faltou algo do cronograma agora mencionado.

Esse tema é largamente tratado com varios check list do livro ” O Exportador 7a edição”( https://vimeo.com/325931564 )

Internacionalización: recordando algunos eventos del 2019 y agradeciendo todos los que han promocionado y participado en los eventos.

Muchas gracias a todos los que han promocionado y colaborado en este año de 2019 para la realización de los muchos eventos en que he podido transmitir experiencias, conceptos, orientaciones. Grato también por la oportunidad de haber aprendido mucho gracias al hecho de compartir debates con muchos profesionales. Para todos, mis votos de felices fiestas e un prospero año nuevo, con salud, paz, éxito.

Muito obrigado a todos que tem promovido e colaborado nesse 2019 para a realização de muitos eventos, nos quais tive a oportunidade de transmitir experiências, conceitos e orientações, como também grato pela oportunidade de ter aprendido muito graças ao convívio com muitos profissionais. Para todos um feliz Natal e um 2020 com muita saúde, serenidade, sucesso.

Nicola Minervini

Cumbre EXIBED en Valencia

Premio EXIBED ” Excelencia en calidad educativa Iberoamericana

Capacitación para empresarios y ejecutivos en Republica Dominicana

Presentación de un curso online :

En Español

Capacitación online con Universidade Federal da Paraíba ( Brasil)

Debate con el profesor Carlos Araujo. (podcast)

Debate online con Thiago Furtago de GETT

Presentación de la 7a edición del libro ” O Exportador”

Serie de entrevistas con el Prof Carlos Moura.

Lanzamiento del libro ” O Exportador” y ponencias en Universidades

O Exportador. Construindo o seu projeto de exportação. 7a edição.

Amigo profissional, professor, gerente de exportação, analista, estudante, porque investir na 7a edição?

Porque é o seu consultor de bolso, o seu “GPS”, porque é um livro diferente diferente. Veja porque é diferente

Assista o video das recomendações finais.

O livro já se encontra em muitas mesas de profissionais

Um modulo dedicado às diferenças culturais

Parte do check list dedicado à China

Aqui o conceito da capacidade exportadora

Na sala virtual, encontra a nossa metodologia do export check- up para avaliar a gestão competitiva da exportação.

Cada capitulo termina com o box ” Como aplicar na empresa o que acabo de aprender

Um capitulo entero de 15 paginas e 10 check-list sobre o que fazer antes, durante e depois de participar em uma feira internacional

100 check-list para facilitar o aprendizado e usar como instrumento de trabalho

Além de tratar sobre como exportar, alertamos muito sobre como não exportar citando uma longa serie de erros comuns.

Mais livros entrando nos escritórios de consultores

Não se trata de uma 1a experiência de livro: é o 7° da serie e o 20° considerando os demais livros em Espanhol e Italiano.

Alguns comentários de quem já usa o livro no próprio trabalho diário de professor, consultor, gerente, analista, funcionário de instituições .

Mais e mais livros usados como suporte para dar aulas ou consultoria.

O livro trata desde os primeiros passos, para quem está iniciando, até uma avaliação da gestão para quem já é veterano na exportação, fornecendo instrumentos práticos de trabalho.

Diferenças culturais na Exportação

A curiosidade de entender como pensa seu interlocutor

tutti .jpg

Os especialistas afirmam que ao redor de 70% das negociações comerciais fracassam por causa do desconhecimento da cultura dos interlocutores. Entendemos por cultura como um conjunto de normas adquiridas, fundamentadas em atitudes, valores e percepções, no contexto de uma determinada sociedade.

Apesar da preservação das boas maneiras nas relações sociais, da globalização, da Internet e da mobilidade que nos permitem conhecer ainda melhor outras culturas, ainda consideramos importante o estudo da cultura. Esse estudo nos possibilita entender melhor as motivações de compra, os padrões de comportamento, o modo como o produto, a nossa forma de nos comunicar, uma simples cor de embalagem, a quantidade de produtos em uma confecção, a forma de se cumprimentar etc., pode entrar em choque com os valores e tradições de um pais colocando a perder talvez meses de trabalho e negociações.

Adaptar-se à cultura do outro já é o primeiro passo para conseguir ganhar a confiança dele. 

Os principais aspectos das diferenças culturais na exportação

 

Com o predomínio nas nossas vidas da rede Internet através da qual estamos em contato com o mundo quase toda hora, hoje já estamos muito mais acostumados à nos deparar com diferentes tipos de cultura e a tendência parece ser uma uniformidade de comportamento (especialmente para as jovens gerações). Porém, ainda há um longo caminho pela frente até chegarmos a um “modo global de comportamento”.

Portanto nas diferenças culturais na exportação devemos considerar parâmetros como história, geografia, tradições, religião dos países que vamos visitar, conhecer o sistema de valores que está na base do comportamento dos vários povos, as formas de protocolo, o modo como as decisões são tomadas, a linguagem corporal (responsável por mais de 70% por cento das mensagens que transmitimos em um encontro).

E’ suficiente uma gafe em uma conversa descontraída em um almoço, na forma de se vestir ou de fazer gestos ou até em dar um presente “constrangedor” tudo isso pode estragar um paciente trabalho que talvez levou meses para preparar o encontro com o nosso potencial parceiro. Examinamos a seguir, uma lista dos principais aspectos culturais.

 Fig CHECK UP .jpg

As diferenças culturais na exportação

(principais aspectos)

—————————————————————————————————–

  • Conceito de tempo
  • Conceito de espaço (espaço físico entre as pessoas e privacidade)
  • Idade
  • Sexo
  • Religião
  • Superstições
  • Formas de cumprimentar
  • Conceito de higiene
  • Valores
  • Humor
  • Alimentação
  • Política
  • Linguagem corporal
  • Tom de voz nas conversações
  • Idioma
  • Presentes
  • Significado das cores
  • Significado dos números
  • Importância da família
  • Destino versus controle sobre a vida
  • Atuação com autoridade
  • Frequência de mudanças no trabalho
  • Folclore
  • Tipo de vestuário

——————————————————————————————————-

Alguns exemplos de diferencias culturais

diff.jpg

Um aviso para informar o publico que está sendo filmado: é para observar a forma muito “sisuda” (quase ameaçadora”) utilizada na Itália, a forma pragmática utilizada no Equador, a forma simpática e irônica utilizada no Brasil.

 Linguagem corporal.

 ling 1.jpg 

 

Os especialistas afirmam que 70% das mensagens que nos transmitimos durante um encontro se referem à linguagem corporal, portanto é fundamental cuidar de nossa forma de gesticular ou de nos apresentar em frente ao nosso interlocutor. Gestos “inofensivos” para nos podem ser extremamente ofensivos para o nosso parceiro ( e vice versa).Nada melhor que estudar as diferenças culturais e significados dos gestos nos países onde queremos realizar negócios.

Por exemplo o gesto do OK feito nos estados Unidos tem uma conotação vulgar no Brasil (vice versa o gesto que usamos no Brasil para dizer “tudo bem” com o polegar para cima, em alguns países é obsceno); na Bulgária se alguém mexe a cabeça de lado a lado não quer dizer que discorda de você mas que está de acordo; oferecer algo com a mão esquerda pode ser considerado ofensivo para vários povos; a aliança nem sempre se põe no dedo anular da mão; etc.

 

Conceito de tempo:

tempo.jpg 

Dependendo do conceito de tempo, as negociações serão mais ou menos longas. Por exemplo: para os países anglo-saxões, cujo lema é “time is money” (tempo é dinheiro), nada de “papo furado” ou enrolação . E’ fundamental ir direto ao ponto: seja pratico, concreto, conciso, eficiente. Vice versa nos países latinos e países do estremo oriente (onde é mais acentuado), a negociação será muito mais lenta, pois o teu interlocutor quer primeiro estabelecer um contato que leve a uma relação mais duradoura.

Uso do primeiro nome

Na América Latina, com exceção de poucos países, costuma-se tutear (chamar por “tu” ou “você”) desde o primeiro contato. Para o europeu, ao contrário, ser chamado logo pelo nome pode dar uma sensação de “invasão de privacidade” ou no mínimo de informalidade.

 

Humor

O humor está vinculado à cultura, à história e às tradições dos povos; uma piada insignificante para alguns pode ser uma ofensa para outros. Se você está morrendo de vontade de contar a seu interlocutor sua piada preferida, peça-lhe que primeiramente que ele te conte algumas. Isso lhe dará uma boa noção do senso de humor local. Se não tiver certeza de que obterá sucesso, é melhor calar-se.

 

Números e cores:

cores.jpg

Informe-se antes sobre o significado de números e cores, para evitar gafes. Pode ser que vai precisar trocar por exemplo a cor da embalagem, ou mudar o numero de peças em uma caixa.

Portanto o conhecimento do “outro”, a interconectividade e a interdependência são fundamentais para conhecer o amplio espectro que define uma cultura.

 Mais uma confirmação que as diferenças culturais na exportação tem um papel preponderante no processo de internacionalização, que obviamente não se limita à atividade de produção e despacho do produto.

Para saber mais sobre esse assunto, utilize os links www.doingbusiness.com

https://issuu.com/diariodelexportador/docs/revista-diario-del-exportador-n__-0/c/smo9jr3, www.businessculture.org

Esse é um dos temas tratados no Cap. 4 do livro ” O Exportador Construindo o seu projeto de internacionalização. 7a edição,  https://vimeo.com/325931564 e esse è o link da editora https://www.almedina.com.br/9788562937200 

capa do livro novo .jpg

Exportar: uma semana de internacionalização no Brasil

Universidade Metodista

metod.jpeg

Universidade FMU

WhatsApp Image 2019-11-06 at 19.56.26.jpg

Universidade FMU

bras.jpg

Apresentação do livro, com Carlos Moura do Canal ” aceleraexport”

foto con carlos.jpg

 

Bate-papo com Carlos Moura do canal you tube “aceleraexport”

IMG-20191107-WA0000.jpg

Universidade UNIP

UNIP .jpg

com Daniel Mourão do GO Brazil  ,mezzo .jpeg

ABIMAPI

abi.jpeg

ABIMAPI

abimapi 1.jpg

Com Thiago Furtado da GETT

thia.jpg

Webminars organizados pela GETT

gett 1.jpg

A simpatia de colegas profissionais  excelentes durante a apresentação do livro

” O Exportador” 7a edição

profis.jpg

Seminario ” Export manager” organizado pelo Canal Aduaneiro

ca.jpg

 

Ingrid Pfützenreuter Castanho Bizan  , uma vez aluna e hoje profissional excelente

ingr.jpg

 

 

 

A semana da internacionalização no Brasil de 4 a 8/11/’19

A semana da internacionalização de 4 a 8/11/2019
Prezados amigos, colegas, professores, alunos.

Aqui alguns links para se inscrever em alguns dos eventos
No dia 5/11 vai ter um webminar
O link de inscrição para a palestra é: https://www.comexdigitaltalk.com.br/

Nesse link pode ter acesso a mais de 26 webinar, gratuitos

Também no dia 5/11, um seminario presencial: https://bit.ly/31YQfaf

Dia 6/11 seminario presencial e online https://canaladuaneiro.com.br/…/06-11-2019-check-list-da-e…/

Dia 7/11 ABIMAPI https://abimapi.com.br/images/emkt/2019/19/
Dia 7/11 apresentação do livro ” O Exportador. Construindo o seu projeto de internacionalização” 7a edição, partir de 18:30, livraria Martins Fontes Paulista

Palestras em Universidades: 4/11 Metodista (ABC) , 6/11 FMU Liberdade, 8/11 Unip Paulista.

evento 611.jpg

 

Minervini-100.jpg

 

 

metod.jpg

comex11.jpg

ca.jpg

 

abim.jpg

 

Convite-O-Exportador.jpg

 

“O Exportador. Construindo o seu projeto de internacionalização.” O departamento de exportação

Alguns trechos do Capitulo dedicado ao Departamento de exportação

Assista ao video Gerente de exportação https://youtu.be/z9JjCd3BKzk

org.jpgdept.jpg

influi.jpg

result.jpg

 

conf.jpg

ger.jpg

O livro se encontra nos seguintes endereços

Os sites onde buscar a 7a edição

  1. Amazon: https://www.amazon.com.br/gp/product/8562937207/ref=ox_sc_act_title_1?smid=A2GMXF1R3LWGB2&psc=1
  2. Saraiva: https://www.saraiva.com.br/o-exportador-7-ed-2019-10605015/p
  3. Estante Virtual: https://www.estantevirtual.com.br/almedina-camoes/nicola-minervini-o-exportador-construindo-o-seu-projeto-de-int–1956293945?show_suggestion=0
  4. Almedina: https://www.almedina.com.br/9788562937200

5. Livraria da Travessa https://www.travessa.com.br/o-exportador-construindo-o-seu-projeto-de-internacionalizacao-7-ed-2019/artigo/17068fbc-f71d-49f0-b7a4-25e47c899075

   6. Martins Fontes Paulista https://busca.martinsfontespaulista.com.br/o%20exportador%207a%20edicao%20nicola%20minervini

Exportação (ou a falta dela) no Brasil

Evento discute exportação (ou a falta dela) no Brasil

Das 500 mil empresas em operação no Brasil só 20 mil se arriscam a vender algo lá fora

 

Apesar dos juros baixos e da inflação miúda, a economia não anda.O que se vê são empresários queixosos das vendas em queda.Desempregados se contam aos milhões. Fábricas fecham as portas por falta de vendas. Mas como isso pode acontecer se não faltam clientes? Enquanto reclamamos, na próxima 1 hora cerca de 6 milhões de empresas ao redor do mundo irão fechar negócios de exportação. Elas irão faturar U$ 2.2 bilhões. Isso dá cerca de U$ 36 milhões por minuto. E quanto dessa fartura de negócios nós desfrutamos? Cerca de 1%.

 

Não há nada que impeça empresários brasileiros de vender seus produtos no exterior. Ao vender lá fora o país inicia um círculo virtuoso que passa por compra de matéria prima, uso de mão de obra qualificada, acesso a recursos financeiros baratos, melhoria de produto e processos, fluxo de caixa mais equilibrado, melhor relacionamento com bancos e fornecedores e – principalmente – diversificação de risco com receita em moeda forte. Pareceu pouco? Tem muito mais vantagens. O Brasil continua na rabeira da inserção internacional. Dos 19 trilhões de dólares alegremente trocados de mãos entre cerca de 60 milhões de empresas ao redor do mundo, só 1% envolve brasileiros. Merecemos mais.

 

Por isso o Canal Investe convidou especialistas em Comércio Exterior com o objetivo de disseminar informações e incentivar os negócios internacionais. Segue agenda com os detalhes do evento marcado para o próximo dia 5 de novembro, das 09h às 17h na Rua Apeninos, Paraíso, São Paulo. Vale ressaltar que neste dia ainda teremos o lançamento da 7ª. edição do livro “O Exportador” (adotado em mais de 100 univerdades, do economista Nicola Minervini (o autor mora atualmente na Itália mas virá para o evento).

 

Como internacionalizar seu produto

Programa:

08h30 – Coffee Break

09h – Abertura – Brazil com S ou Z: Perspectivas para o Futuro – Sergio Pereira

10h45 – Automatização e Simplificações do Processo de Exportação – Lucas Sanches

14h- Export manager: guia para construir o seu projeto de internacionalização – Nicola Minervini

15h30 – Tarde de autógrafos – lançamento da 7ª. edição do “O Exportador” – Nicola Minervini

16h30 – Debate – Nicola Minervini x Sergio Pereira

17h30 – Encerramento

 

Assuntos que serão abordados no debate:

– como trazer mais empresas brasileiras para o ambiente mundo?

– o que motiva e o que impede que mais brasileiros façam negócios no exterior? Como ajudar?

– experiências italianas e União Européia.

– mexer ou não no produto, seleção de mercados, gestão financeira, aspectos logísticos entre outros temas.

PALESTRANTES:

Nicola Minervini

É executivo de internacionalização de empresas italianas e brasileiras e consultor em instituições oficiais, com mais de 40 anos de experiência.

Detalhes da palestra: Vamos alertar sobre os erros mais comuns na gestão da exportação; orientar sobre como fazer uma avaliação da competitividade; como utilizar os instrumentos do método P.I.M.E.(Promoção, Informação, Mercado, Empresa); a importância da integração na empresa; a alternativa para as pmes exportar: redes de empresas (como não fazer); como realizar um export check-up; experiências de trader.

 

Sergio Pereira

Especialista em expansão global de negócios. Sócio da Ankon Consultoria e de Educação Executiva. Autor do livro Futuro do Pretérito – visões do que não mudou no comércio internacional brasileiro em 30 anos.

Detalhes da palestra: A economia brasileira segue patinando e temos a impressão que todo o mundo está do mesmo jeito.  Certo?  Errado!  Apesar de instabilidades em diferentes regiões do mundo, existem milhares de empresas localizadas em quase 200 países comprando e vendendo seus produtos numa velocidade vertiginosa de 19 trilhões de dólares por ano.    Pequenas, médias, grandes, buscando todo tipo de produto.  E por que nós brasileiros não estamos participando nessa dinâmica ciranda de negócios?  Até quando vamos ficar sentados aqui olhando os negócios acontecendo lá fora? O que nos impede de prosperar no ambiente global de negócios?  Onde você, seu produto e sua empresa estarão em 2020?

 

Lucas Sanches

Mais de 15 anos de experiência em tecnologia e soluções sistêmicas com passagem por grande Freight Forwarder, Lucas é responsável pela idealização e definição dos produtos de softwares a serem desenvolvidos visando a melhor produtividade e segurança do processo para os clientes da Bysoft.

 

Detalhe da palestra: Será apresentado um panorama das melhorias evidênciadas após a implantação da DUE no processo de exportação e uma análise do nível atual de automatização do processo. Discutiremos que novas ferramentas de automação podem vir a ser aplicadas em um futuro próximo e como a Bysoft está posicionada na busca pelas inovações nesse novo cenário esperado.

 

ORGANIZAÇÃO DO EVENTO

Quem somos:

 

O Canal Investe é uma empresa prestadora de serviços que atende desde alunos de graduação, pós-graduação ou interessados em agregar conhecimento e valor à carreira até empresas que pecisam de Consultoria em Comércio Exterior ou treinamentos In Company.

Acreditamos que por meio da Educação seja possível construir um mundo melhor, mais sólido e saudável. Temos cerca de 400 horas de aulas gravadas distribuidas entre cursos voltados ao Comércio Exterior e Gestão. Através de uma plataforma própria, o aluno tem acesso ao conteúdo por computador, tablet e celulares, de qualquer lugar. Vale lembrar que o Canal Aduaneiro, uma das marcas mais fortes do Canal Investe, é pioneiro em cursos à distância na área de Comércio Exterior. O Canal Aduaneiro presta Consultoria em Ex-Tarifário, Exporte ME, SISCOSERV, entre outras áreas.

 

Serviço

Como internacionalizar seu produto

05/11/2019 / Das 08h30 às 17h30

Rua Apeninos, 1.070 – Paraíso – São Paulo, SP

Incrições: https://bit.ly/2W8CGD3

 

Assessoria de Imprensa
Soldano Comunicação

Liege Soldano / Jornalista / MTB 41.742/SP

11 – 97503.1002

liegesoldano@gmail.com

 

*Fontes

OMC – Organização Mundial do Comércio // Governo Federal Brasileiro

https://datapo.com/news/how-many-companies-are-there-in-the-world/

 

ca.jpg

” O Exportador 7a edição “: folheando o livro!

 

No final de cada capitulo tem um box para verificar se obteve os resultados esperados  resulta.jpg

resul 1.jpg

No final de cada capitulo tem um box ” Pontos para lembrar”

pont lem.jpg

Em cada capitulo tem varios check.list

scheck.jpg

chin.jpg

Na sala virtual tem uma serie de apresentações em power point

tempo antes.jpg

No final de cada capitulo tem o box que indica como aplicar na pratica op que estudoucomo aplic.jpg

Esse é parte do check list n° 100, que completa  a serie de check-list do livro

check .list n° 100.jpg

Cada capitulo inicia com um check-up chec up .jpg

 

Um dos assuntos tratados (quase um livro no livro)  é como não fazer redes de empresa e como usar uma metodologia para ter sucesso.  comnsorci.jpg